Projeto quer obrigar PCDF a publicar lista de procurados em site

Proposta que tramita na Câmara Legislativa prevê divulgação do nome e foto do foragido, além de variações de aparência e crimes cometidos

m projeto de lei (PL) quer tornar obrigatória a divulgação de informações sobre fugitivos, foragidos e criminosos de alta periculosidade nos sites da Polícia Civil e do Sistema Penitenciário do Distrito Federal. A proposta, de autoria do deputado distrital Hermeto (MDB), foi protocolada na terça-feira (11/02/2020), na Câmara Legislativa.

O PL prevê a divulgação do nome do procurado, foto real e possíveis variações de aparência, apelidos, local e data de nascimento, idade, cor dos olhos e dos cabelos, altura, peso, sexo, raça e os crimes cometidos.

O conteúdo da página de internet deverá ser organizado de forma a priorizar a divulgação de indivíduos que cometeram crimes hediondos, perigosos e os recém-decretados fugitivos, disponibilizando um número telefônico para receber informes, com campo próprio para envio de comunicações anônimas on-line.

“Com essa ampla divulgação que estamos propondo, a população poderá ajudar com denúncias, e as forças de segurança terão a vantagem necessária para a captura desses marginais”, afirmou o autor do projeto, deputado Hermeto.

“Com essa ampla divulgação que estamos propondo, a população poderá ajudar com denúncias, e as forças de segurança terão a vantagem necessária para a captura desses marginais”, afirmou o autor do projeto, deputado Hermeto.

Atualmente, o site da Polícia Civil tem uma página com a divulgação dos procurados, mas não conta com todos os detalhes que estão sendo propostos pelo projeto.

De acordo com dados levantados pela assessoria do parlamentar, no fim do ano passado, o Distrito Federal incluiu cinco nomes de foragidos na lista vermelha da Interpol. Das 7.146 pessoas que constam na relação, 105 são do Brasil. Desses, cinco moravam no DF.

Procurada pela reportagem, a PCDF informou, por meio da Secretaria de Segurança Pública, que “não se manifesta sobre projetos ainda em tramitação”.

Fonte: Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here