Jovem com câncer lança livro no Hospital de Base, em Brasília

Gabriela Mota, de 24 anos, está internada desde janeiro, com diagnóstico de carcinoma. ‘Silenciados – Anônimos sem voz’ foi distribuído para pacientes da instituição.

A jornalista recém-formada Gabriela Mota, de 24 anos, foi diagnosticada com carcinoma, um tipo de câncer, em janeiro deste ano. Desde então, ela está internada no Hospital de Base de Brasília.

A jovem, que afirma sempre ter gostado de ler e escrever, teve a ajuda da equipe de terapia ocupacional do hospital para lançar seu primeiro livro: “Silenciados – Anônimos sem voz”.

Ao G1, ela contou que o atendimento no hospital público deu forças a ela para transformar o trabalho de conclusão do curso (TCC) em uma obra para ser compartilhada também fora da universidade. O livro foi distribuído para os pacientes da instituição.

“Aqui nós não somos tratados só como doença. Eu sou a Gabriela, que está doente, mas eu tenho uma vida, sonhos e planos.”

Em 72 páginas, divididas em cinco capítulos, Gabriela conta a história de cinco pessoas que representam grupos minoritários. “Mas o objetivo não é falar da mulher feminista, ou do homem trans – que são personagens – e sim da história dessas pessoas, sem que sejam julgadas pela aparência”, explica.

Paciente Gabriela Mota lança livro no Hospital de Base — Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF

Paciente Gabriela Mota lança livro no Hospital de Base — Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF

Internação e jornalismo literário

“Silenciados – Anônimos sem voz” se enquadra como jornalismo literário e aborda a vulnerabilidade social, a situação de pessoas à margem da sociedade. “Escolhi esse tema por me identificar com ele”, aponta a autora.

“Não é justo que pessoas passem por situações difíceis simplesmente em razão da cor da pele ou da posição social.”

Gabriela precisou passar por duas cirurgias desde que foi internada. Ela foi diagnosticada com nódulos na coluna.

Por conta da cirurgia, a jornalista perdeu o movimento das pernas. Mas, de acordo com os médicos, “isso é normal nos primeiros meses de recuperação”, diz a jovem.

“Estou fazendo fisioterapia todos os dias. Estou tranquila, esperando os movimentos voltarem. Eles vão voltar um dia.”

Paciente Gabriela Mota lança livro no Hospital de Base — Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF

Paciente Gabriela Mota lança livro no Hospital de Base — Foto: Davidyson Damasceno/IGESDF

Para Gabriela, o lançamento do livro “foi um evento lindo”. Ela afirma que, depois disso, sente-se ainda mais motivada para continuar o tratamento.

“Fiquei mais disposta, mais animada e mais contente para continuar o tratamento. Foi um momento lindo e incrível.”

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here