Pandemia muda Réveillon em Pirenópolis, Caldas Novas e Alto Paraíso. Saiba as regras

Municípios, que esperam milhares de turistas, autorizaram eventos particulares, desde que seguidos os protocolos contra a Covid-19

O cancelamento de festas de Réveillon por causa da pandemia do novo coronavírus não impedirá comemorações em hotéis, pousadas e restaurantes de cidades turísticas comumente frequentadas por brasilienses, no Entorno do DF. Com a expectativa de receber milhares de turistas na virada de ano, municípios como Caldas Novas, Pirenópolis e Alto Paraíso, em Goiás, alteraram o esquema de eventos para evitar a contaminação pela Covid-19.

Apesar disso, a quantidade de pessoas que hotéis, pousadas e flats devem acolher no feriado tem contrastado com a tentativa das prefeituras de driblar as aglomerações. Apenas Caldas Novas prevê a chegada de cerca de 100 mil turistas no Ano Novo, sendo grande parte de Brasília.

Confira, abaixo, como devem ser as festas de Ano-Novo nestes locais:

Caldas Novas

Apesar da proibição de festas na cidade, a Prefeitura de Caldas Novas autorizou estabelecimentos particulares realizarem eventos dentro de suas dependências. Estes locais devem seguir regras sanitárias estabelecidas pela Vigilância Sanitária municipal, como a limpeza frequente de lugares comuns e uso de máscaras.

De acordo com o secretário de Turismo da cidade, Ivan Garcia Pires, no feriado de Natal, a prefeitura interditou três festas clandestinas. “E se surgir qualquer outra, vamos fechar de novo”, diz.

“Somente estão autorizados eventos em estabelecimentos comerciais, hotéis, clubes, mediante alvará especial retirado no departamento de fiscalização da prefeitura. A lotação de cada um varia de acordo com o espaço, mas, em geral, as regras são as mesmas: distanciamento das mesas, distanciamento de dois metros, uso de máscara…”, pontua o secretário.

Segundo Marcelo Palmerston, diretor-presidente da Associação AQUA, que representa o trade turístico da região, a ocupação dos resorts prevista para o Réveillon é de quase 100%, o que representa cerca de 100 mil pessoas.

“Caldas Novas hoje tem 15 mil apartamentos para locação, hospedagens. São quase 50 mil leitos e a expectativa é de quase 100% de ocupação de todos eles. Só que nós temos também os flats residenciais, com pessoas que possuem apartamento na cidade, mas não residem e acabam vindo nessas épocas […] A população da cidade é em torno de 90 mil pessoas, então praticamente a gente dobra a população nesses períodos”, detalha.

Marcelo faz parte do comitê de enfrentamento da Covid-19 da Prefeitura de Caldas Novas e garante que o município está preparado para lidar com a quantidade de turistas neste fim de ano. “A prefeitura, de forma muito responsável, está proibindo festas de grandes aglomerações. Todas as festas que seguem os protocolos estabelecidos, que conseguem resguardar distanciamento, marcação de lugar, recebem o alvará e podem ocorrer desde que não gerem aglomerações descontroladas. Qualquer outro tipo de festa é reprimido pelas autoridades.”

A Prefeitura de Caldas Novas autorizou estabelecimentos particulares realizarem eventos dentro de suas dependências

Pirenópolis

Segundo a secretária municipal de Saúde de Pirenópolis, Luciana Rodrigues da Silva, não haverá nenhum evento público organizado pela prefeitura no Ano Novo. Porém, as festas de virada de ano serão permitidas em estabelecimentos privados, que deverão seguir restrições.

“Lugares como pousadas, bares e restaurantes que já estão funcionando, com protocolos estabelecidos, já têm número máximo de pessoas permitidas e devem seguir essa regra”, explica. “Locais que receberiam 300 pessoas, por exemplo, hoje recebem 100. Depende do tamanho do local”, completa a secretária.

“Os demais eventos, como shows, que não têm alvará, não poderão acontecer. Com o novo decreto, está proibida a circulação na rua, ficar com garrafa, bebida na rua. Toda aglomeração está proibida”, enfatiza Luciana.

A cidade instalou barreiras sanitárias para controlar a entrada de pessoas até o dia 31. “Só serão permitidos parentes – de primeiro grau, segundo grau – ou pessoas com hospedagem marcada. Então, ali na entrada, eles precisarão apresentar algum documento de parentesco, comprovante de residência do parente, a reserva do hotel. A pessoa tem que comprovar que tem onde ficar, porque geralmente algumas vêm para ficar na rua, virar o dia, e é essa aglomeração que a gente quer conter”, explica a secretária.

De acordo com a Secretaria de Turismo do município, são esperados 15 mil turistas no feriado de Ano Novo. O número representa a capacidade total das pousadas e casas de temporada que estão autorizadas pela prefeitura local a manter funcionamento na pandemia.

Regras em Pirenópolis são parecidas

Alto Paraíso de Goiás

Em Alto Paraíso, a programação segue regras parecidas. Segundo Moisés Nunes Neto, secretário de Turismo e de Desenvolvimento Econômico da cidade, houve um reforço policial no município para fiscalizar se os eventos seguirão os protocolos sanitários.

“Todos os eventos só poderão ocorrer até meia-noite do dia 31. Passou disso, será interditado. O encerramento de atividades em restaurantes, hotéis será exatamente à 0h”, ressalta. De acordo com o secretário, a multa para o estabelecimento que descumprir a regra começa em R$ 2,5 mil.

Apesar das medidas, Neto afirma que a pasta se preocupa com a quantidade de turistas que devem chegar à cidade no feriado. O local conta com aproximadamente 200 pousadas e deve receber entre 7 mil e 10 mil pessoas na virada de ano.

“Além dos hotéis, há casas de temporada, campings, outros tipos de hospedagem que fogem um pouco do nosso controle. E, com as festividades, nos preocupa o controle dos turistas após esses horários estabelecidos”, destaca o secretário.

Um dos principais pontos turísticos do Goiás, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros manterá o funcionamento nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. A entrada, de segunda a sexta-feira, vai das 8h às 12h. Já aos sábados, domingos e feriados, das 7h às 12h. A saída é até 18h.

Em função dos protocolos para prevenir a Covid-19, há limite de visitantes para cada atrativo. Assim que for atingido o limite diário, não serão mais permitidos acessos para aquele local. Também será proibida a entrada no Centro de Visitantes de pessoas sem máscara de proteção.

Fonte: Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here