Goiás recupera empregos perdidos com a pandemia. Indústria e construção civil lideram na geração de novas vagas

Estado apresenta saldo positivo de 8.805 empregos com carteira assinada no mês de outubro e já soma 22.550 postos de trabalho no período entre janeiro e outubro

Indústria produziu um saldo de 13.214 vagas de trabalho entre janeiro e outubro, o que ajudou na recuperação dos empregos perdidos com a pandemia / Fotos: Hegon Corrêa

Goiás registrou saldo positivo de 8.805 empregos com carteira de trabalho assinada em outubro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério da Economia, divulgados nesta quinta-feira (26/11). Com os números registrados em outubro, o Estado recupera os empregos perdidos nos meses mais críticos da pandemia – março, abril e junho –, quando sofreu queda de 30.211 vagas. Somente a soma do saldos positivos alcançados nos meses de julho, agosto, setembro e outubro atinge a marca de 33.310 empregos.

No período de janeiro a outubro, o saldo dos empregos em Goiás é de 22.550 vagas de trabalho formal, o que coloca o Estado na quinta posição nacional.

O saldo de 8.805 empregos é o resultado de 49.753 admissões contra 40.948 desligamentos. No Brasil, esse índice total entre janeiro e outubro também é positivo: de 394.989 novas vagas de trabalho. Em 2019, nesse mesmo período, o saldo era de 70.852.

Ainda conforme aponta o Caged, a indústria de Goiás segue puxando a recuperação da economia e gerando emprego. Os dados mostram no painel por setores da economia que o setor industrial produziu um saldo de 13.214 postos de trabalho entre janeiro e outubro, o que ajudou sobremaneira na recuperação dos empregos perdidos com a pandemia.

Na segunda posição por setor aparece a construção civil, com 8.954 vagas de empregos criadas nesse período, seguida pela agropecuária, com 5.758 novas vagas. Comércio e serviços ainda estão em processo de recuperação com -1.495 e -3.881, respectivamente. No entanto, os números para esses dois setores são positivos no mês de outubro, com saldos de 3.724 (comércio) e 3.244 (serviços).

O balanço positivo reflete diretamente as ações desenvolvidas pelo Estado durante a pandemia. O governador Ronaldo Caiado observou que, mais que cuidar da saúde dos goianos, foi possível garantir a oferta da principal política social, que é o emprego. “Nosso plano de governo é: salvar vidas, resgatar empregos, cuidar das famílias mais vulneráveis e ter uma visão social para as pessoas, tanto aquelas que já viviam em situações difíceis como as que perderam emprego e renda”, relatou.

O secretário de Indústria, Comércio e Serviços do Governo de Goiás, Adonídio Neto, comemorou os números e disse que os desafios impostos pela pandemia da Covid-19 estão sendo superados com muito trabalho e dedicação. “Vamos sair da crise ainda este ano. Estamos focados em recuperar os empregos perdidos pela pandemia e com certeza em 2021 os indicadores serão ainda melhores”, disse Adonídio.

Ainda segundo Adonídio, a indústria e a construção civil em Goiás são as duas locomotivas que estão puxando a economia do Estado rumo à normalidade. Ele também espera que nos meses de novembro e dezembro (que serão divulgados pelo Caged) a situação seja ainda melhor e com claro viés de recuperação. “Os números de empregos conferem com o crescimento da indústria goiana, que ficou na primeira posição nacional, segundo o IBGE”, lembra o secretário.

Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) – Governo de Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here