Empresa investe R$ 265 milhões e vai gerar 1.370 empregos com produção biocombustível no município de Porteirão

Indústria de esmagamento de cana também se prepara para processar milho. Nos próximos dois anos, o empreendimento será ampliado, com novos aportes financeiros. “Temos trabalhado fortemente com foco na atração de negócios e alcançado resultados promissores. Há interesse cada vez maior dos empresários em virem para Goiás”, ressalta Adonídio Neto, titular da SIC

Planta industrial que estava parada será reativada pela Goiás Bioenergias, em Porteirão. Além do investimento inicial, empresa já prevê novos aportes para ampliar produção de biocombustível, inclusive com processamento também de milho

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Indústria Comércio e Serviços (SIC), fechou investimento de R$ 265 milhões com a Goiás Bioenergia SA em Porteirão, na região Sul do Estado, que vai gerar de imediato 370 empregos diretos e outros 1 mil indiretos. A empresa tem como expectativa de produção 7,5 mil toneladas de biomassa de cana-de-açúcar por dia. Totalizando, por safra, 1,5 milhão de toneladas para a produção de etanol.

A expectativa da empresa é fazer duas ampliações no Parque Industrial, a primeira em 2022 para moagem de milho para biocombustível e a segunda, em 2023, para expansão da moagem de cana-de-açúcar. Cada expansão tem previsão de aumentar em 20% os empregos diretos e indiretos.

O titular da SIC, Adonídio Neto, disse que essa é mais uma empresa que a secretaria atrai para realizar investimentos no Estado com a geração de empregos e renda. A Goiás Bioenergias SA assinará na próxima semana protocolo de intenções com o Governo de Goiás para confirmar todo o seu planejamento de investimentos. “Trabalhamos muito na busca de novas empresas para se instalarem em território goiano e os resultados são promissores com o interesse cada vez maior dos empresários para vir para Goiás”, afirma Adonídio.

De acordo com o presidente da Goiás Bioenergias SA, Marcio Barbero, os incentivos para empreender no Estado foram fundamentais para escolher Goiás para realizar o investimento. “O governo oferece diversos incentivos que estamos usufruindo, como o Programa Produzir, além de recursos a partir do FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste). É válido e indico o Estado para investidores parceiros”, levanta o presidente.

Incentivos
Através do programa Produzir, que tem como objetivo o incentivo à implantação, expansão ou revitalização de indústrias, estimulando a realização de investimentos, a empresa conseguiu um contrato de exploração por 25 anos de uma planta industrial desativada em Porteirão, local onde é realizado o investimento que tem sede em Jundiaí, interior de São Paulo. O investidor também destaca que o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) foi fundamental no processo de decisão para trazer o empreendimento para o território goiano.

Secretaria de Indústria Comércio e Serviços (SIC) – Governo de Goiás

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here