No Mané Garrincha, Gama faz três no Brasília e fica perto do título candango

img_5118_1Está muito perto de chegar ao fim o jejum de 11 anos sem títulos do maior campeão do Distrito Federal. Empurrado pela fanática torcida, o Gama venceu o Brasília por 3 a 0 neste sábado, no Mané Garrincha, e abriu ótima vantagem no primeiro jogo da final do Candangão. O Periquito, que não ganha o campeonato desde 2003, pode até perder por dois gol de diferença no segundo confronto da decisão que garante seu 11º troféu. A partida está marcada para o próximo sábado, às 16h30, novamente no Mané Garrincha.

Após pressionar durante todo o primeiro tempo, o Gama abriu o caminho para a vitória aos 19 minutos da segunda etapa, com um gol de oportunismo do centroavante Grampola, se aproveitando de cobrança de escanteio. Depois, com mais espaço para jogar, o Periquito foi preciso para ampliar a vantagem com Hérliclis e Daniel, levando à loucura os cerca de 8 mil torcedores alviverdes que fizeram bastante barulho no Mané Garrincha.

– Como eles jogavam com a vantagem, a gente sabia que iam entrar fechados. E um gol nosso, saindo na frente, iria fazer com que eles tivessem que se lançar ao ataque para empatar. Nosso time é muito forte no contra-ataque. O Grampola foi abençoado de fazer o gol, e foi fundamental para que conseguíssemos essa vantagem. Mas ainda faltam o segundo jogo, então temos que continuar tendo muita humildade – afirmou o meia Lenílson ao fim da partida.

Capitão do Gama, o volante Baiano também comemorou o resultado, mas fez questão de ressaltar a importância da segunda partida.

– Foi um bom resultado, mas ainda não ganhamos nada. Agora, ainda faltam 90 minutos de muito trabalho. Nunca fomos considerados favoritos. Respeitamos o Brasília. Foi um milagre de deus a gente fazer três gols nessa equipe, a melhor defesa do campeonato. Então, temos que ter muito os pés no chão porque ainda faltam 90 minutos de muita transpiração para, quem sabe, no outro fim de semana a gente possa conquistar esse título tão sonhado. Espero que o Mané Garrincha esteja novamente lotado e com muito trabalho a gente conquiste mais uma vitória – disse Baiano.

Gama x Brasília final candangão (Foto: Daniel Mangueira / TV Globo)Atacante Daniel comemora com os torcedores do Gama no Mané (Foto: Daniel Mangueira / TV Globo)

Ao Brasília, resta tentar uma virada heroica no segundo jogo para evitar o terceiro vice-campeonato candango consecutivo. Para tirar o título do Gama e voltar a conquistar o campeonato após 27 anos, o Colorado terá que vencer por três gols de diferença no segundo jogo – por ter feito melhor campanha na primeira fase, o Brasília fica com o título em caso de igualdade na soma dos resultados dos dois confrontos finais.

– Futebol é assim. Cometemos muitos erros, coisas bobas. Acho que deixamos a desejar no segundo tempo. Vamos ter que entrar com mais vontade e mais foco no segundo jogo. Eles têm uma vantagem muito grande, mas não tem nada resolvido – afirmou o meia Hérveton, do Colorado.

Chances e mais chances, mas nada de gol

Ansiosa por voltar a ver o Gama levantar um troféu, a torcida alviverde não quis nem saber da insistente chuva que caiu durante toda a tarde na capital federal e compareceu em bom número ao Mané Garrincha para empurrar o Periquito. E o time respondeu em campo, armando uma verdadeira blitz para cima do Brasília no início do jogo. Logo no primeiro minuto, Baiano arriscou de longe, o goleiro Arthur deu rebote e Miracema tocou para a rede. No entanto, a arbitragem anulou o lance apontando impedimento do atacante. Pouco depois, o camisa 11 do Gama apareceu mais uma vez com liberdade na área, mas foi novamente flagrado em posição irregular. Ainda no começo, Baiano teve outra boa chance, mas acabou furando a finalização.

Gama x Brasília final Candangão (Foto: Francisco Stuckert / Futura Press)Centroavante Grampola parou no goleiro Arthur no primeiro tempo da partida (Foto: Francisco Stuckert / Futura Press)

Sem se intimidar com a pressão do Gama, o Brasília tentava responder nos contra-ataques. A aposta principal era na velocidade de Bruno Morais, que criou boas jogadas pelo lado esquerdo. Empurrado pela torcida, o Periquito continuou pressionando e quase abriu o placar aos 22 minutos com Grampola, que recebeu boa bola na área, mas acabou parando no goleiro Arthur. Enquanto se segurava na defesa, o Brasília seguia levando perigo nos contragolpes e assustou três vezes a torcida do Gama logo na sequência, com Wilian, Héverton e Michel Platini.

Foi então que o técnico do Gama, Gilson Granzotto, surpreendeu aos 33 minutos com uma mudança no time: decidiu colocar o jovem Daniel, destaque das semifinais, no lugar de Formiga, que vinha aparecendo pouco no ataque alviverde. A fez crescer ainda mais o poder ofensivo do Periquito, que voltou a chegar após Daniel passar boa bola para Hérilcis nas costas da zaga. O meia bateu cruzado procurando por Grampola na área, mas o lateral-esquerdo do Brasília, Makeka, apareceu afastar de dentro da pequena área o que seria o primeiro gol do Gama. Antes do intervalo, o Brasília, perigoso nos contra-ataques, voltou a assustar com Morais e o Periquito ainda perdeu outra oportunidade em cobrança de falta alçada à área que Grampola desviou rente à trave direita de Arthur.

Pressão dá resultado e Gama consegue boa vantagem

Na volta para a segunda etapa, a chuva deu uma pequena trégua no Mané Garrincha, mas o panorama em campo continuou o mesmo do primeiro tempo: o Gama tentando pressionar e o Brasília respondendo nos contra-ataques. Mais participativo, o centroavante Grampola foi responsável pelas duas primeiras boas chegadas do Periquito. Mas quem passou perto mesmo do gol nos primeiros minutos foi o Colorado, com o volante Pedro Ayub, em chute de fora da área que obrigou o goleiro André a fazer grande defesa.

Foi então que a insistência do Gama finalmente deu resultado. Aos 19 minutos, após cobrança de escanteio, Grampola se aproveitou da confusão na área e colocou na rede: 1 a 0 para o Periquito e muita festa nas arquibancadas. Alegria alviverde que, por pouco, não foi interrompida logo na sequência, quando Bruno Morais carimbou a trave do Periquito, colocando fogo na partida.

Gama x Brasília final Candangão (Foto: Francisco Stuckert / Futura Press)No segundo tempo, Grampola levou vantagem e abriu o placar para o Gama (Foto: Francisco Stuckert / Futura Press)

Em desvantagem, o Brasília passou a subir com mais jogadores ao ataque. Então, foi a vez de o Gama se aproveitar do contragolpe. E o Periquito foi preciso. Logo aos 25 minutos, Hériclis recebeu ótimo lançamento de Daniel, invadiu a área e chutou cruzado. O goleiro Arthur pegou a primeira, mas na sequência Grampola brigou pelo rebote e encontrou novamente Hericlis, que desta vez não perdoou e bateu firme para fazer 2 a 0.

Com um bom resultado nas mãos, o Gama passou a controlar o relógio nos minutos finais, principalmente após a entrada do experiente Lenílson no meio-campo. O Periquito ainda teve competência para ampliar a vantagem. Aos 38 minutos, a defesa do Brasília afastou mal cobrança de tiro de meta e a bola sobrou para Miracema, que passou para Daniel marcar o terceiro, fazendo explodir a festa da torcida alviverde nas arquibancadas do Mané Garrincha.

Fonte: globoesporte.globo.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here