Em rede social, Santos compara bicicletas de CR7 e Pelé; confira os movimentos

20180403181817314384eO Santos usou o Twitter para comparar a bicicleta de Pelé em 1965, diante da Bélgica, com a de Cristiano Ronaldo, 53 anos mais tarde, diante da Juventus. Segundo o perfil oficial do clube, o português “aprendeu certinho” com o maior jogador de todos os tempos.
À época, o movimento de Pelé foi considerado quase perfeito pelo Laboratório de Biofísica da Universidade de São Paulo (USP), que estudou o lance e afirmou que o camisa 10 da Seleção Brasileira inventou uma forma de usar com quase 100% de eficiência a energia do corpo numa fração de segundo.
O gol de Pelé foi na goleada Brasileira diante da Bélgica, no Maracanã, por 5 x 0, em amistoso preparatório para Copa do Mundo de 1966. A partida, claro, era bem menos importante que um duelo valendo vaga na semifinal da Liga dos Campeões da Europa.
O tento marcado pelo português foi o último na vitória do Real Madrid contra a Juventus, por 3 x 0, em Turim. Os dois clubes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (11/4), na capital espanhola.
Os inventores
Nascido na Espanha, Ramon Unzaga foi o inventor do movimento. Aos 12 anos, ele se mudou para o Chile, onde aplicou a primeira bicicleta, em 1914. Pela repetição da jogada em partidas da Seleção do novo país, a jogada ficou conhecida na América Latina como Chilena. No Brasil, um dos primeiros a realizar o movimento foi Leônidas da Silva, em meados da década de 1930.
Nas comemorações dos 70 anos de Pelé, o Correio fez um especial e mostrou que a bicicleta do Rei havia passado pelo Laboratório de Biofísica da Universidade de São Paulo (USP). “A conclusão é surpreendente: aquele ser humano inventou uma forma de usar com quase 100% de eficiência a energia do corpo num átimo de segundo”, dizia a matéria.
O coordenador do laboratório, Marcos Duarte, afirmou, à época, que o principal elemento que tornou a bicicleta de Pelé mais eficiente do que as demais era o ato de cruzar as pernas no ar, com movimentos angulares complementares, semelhantes aos de uma tesoura. “Do ponto de vista mecânico, existe uma função em você elevar a perna que não vai chutar primeiro e, então, no ar, cruzar as pernas”, explicou o especialista. “Essa cruzada de pernas permite um equilibrio melhor do atleta no ar. Isso faz com que o atleta possa executar melhor o movimento. Além disso, a ‘tesoura’ amplia a capacidade de colocar força no chute.”
Dessa forma, a bicicleta de Pelé era bela e perfeita do ponto de vista físico. “Embora o Pelé não tenha sido o inventor do movimento, ele foi, sim, o inventor do que podemos chamar de bicicleta ideal, ou a bicicleta perfeita”, afirmou Marcos Duarte. “A beleza dos movimentos ajuda, inclusive, na diferenciação do que é uma bicicleta autêntica, em comparação às variações desse movimento. Cruzar as pernas no ar caracteriza a autêntica bicicleta.” Confira uma arte que mostra toda a mecânica e a história desse movimento perfeito do Rei.

Fonte: Superesportes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here