Lêda Borges, a herança maldita do marconismo em Valparaíso

Nos últimos anos, o Estado de Goiás foi governado por um grupo político que mais se preocupou em assaltar os cofres públicos do que ajudar o povo goiano

Há pessoas que entram para a vida pública para ajudar o seu estado, o seu município e os interesses da população como um todo. Mas, há também aquelas que entram para vida pública para favorecer seus interesses sujos e obter vantagens por meio de negociatas com o dinheiro público. Nem que para isso, o povo tenha que pagar a conta. Nos últimos anos, o Estado de Goiás foi governado por um grupo político que mais se preocupou em assaltar os cofres públicos do que ajudar o povo goiano. Essa aliança foi construída por Marconi Perillo (PSDB), ex-governador de Goiás, preso em outubro de 2018 durante a operação Cash Delivery por ser acusado de receber R$ 12 milhões em propina da Odebrecht.

O marconismo, como ficou conhecido o estilo de gestão do ex-governador aliado do bicheiro Carlinhos Cachoeira, tem no Entorno do Distrito Federal uma das suas maiores estrelas. É a deputada estadual e candidata à prefeita de Valparaíso de Goiás, Lêda Borges. A tucana é uma das pupilas de Marconi Perillo, tanto é que foi sua secretaria de Mulher, Desenvolvimento Social, Igualdade Racial, Direitos Humanos e do Trabalho e presidente da Agência de Desenvolvimento Regional .

No entanto, a sua ida para o Executivo mostrou a sua falta de compromisso com a cidade que a projetou para a política. Valparaíso foi esquecido por Lêda. Ela optou priorizar outros municípios. Agora que seu padrinho político está enrolado com a Justiça, a deputada se tornou a referência para os marconistas. O esforço concentrado de seus aliados para elegê-la prefeita de Valparaíso de Goiás tem um só objetivo: instalar o mesmo esquema de corrupção do governo Marconi Perillo.

A deputada Lêda Borges é a esperança do marconismo ressurgir das cinzas e voltar a operar os crimes que levaram o Estado de Goiás à falência. Uma coisa é certa, para entrar para o grupo de Marconi Perillo é preciso ser ficha suja. Nesse quesito, a candidata Lêda tem um currículo de dar inveja. Numa rápida pesquisa na internet, é possível achar mais de 30 processos com a parlamentar. No ti-ti-ti dos bastidores, espera-se que Lêda Borges jogue a toalha antes da reta final das eleições municipais já que ela foi condenada pelo juiz Rodrigo Rodrigues de Oliveira e Silva por improbidade administrativa.

Contudo, como a parlamentar faz tudo pelo poder e seu grupo político depende mais do que tudo que ela seja eleita, é possível que ela consiga chegar até as urnas. Aí caberá aos valparaisenses decidir se vão querer ficar com essa herança maldita e optar pela volta ao passado de corrupção e roubalheira. Agora, é com você eleitor de Valparaíso de Goiás.

Fonte: Expressaobrasiliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here