Nova pista de concreto exclusiva para ônibus

Governo investe R$ 56 milhões na obra, que está em licitação e prevê cerca de 200 novos empregos. Expectativa é reduzir 15 minutos nas viagens  

Obras do Corredor Eixo Oeste avançam: próxima etapa vai ampliar a faixa exclusiva para ônibus até o viaduto da W3 Sul | Fotos: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal trabalha na construção do Corredor Eixo Oeste para o transporte público. Quando pronta, a via terá 38,7 quilômetros de extensão, ligando o Sol Nascente/Pôr do Sol ao Plano Piloto, passando por Taguatinga com implementação do Sistema BRT. As obras são feitas em etapas. A próxima, que vai ampliar a faixa exclusiva para ônibus até o viaduto da W3 Sul, prevê diminuir em 15 minutos o tempo de deslocamento dos passageiros.

38,7 kmExtensão da via, que ligará o Sol Nascente/Pôr do Sol ao Plano Piloto

Neste mês, o GDF lança licitação para contratar empresa responsável por executar a segunda etapa de reformulação do sistema viário da Estrada Setor Policial Militar (ESPM), entre a intersecção com a Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) e o viaduto da W3 Sul.  O investimento previsto é de aproximadamente R$ 56 milhões, com cerca de 200 empregos gerados.

R$ 56 milhõesValor aproximado dos recursos investidos na obra

Faixa exclusiva

O projeto prevê adequações na via existente, pavimentação, drenagem, sinalização, paisagismo, calçadas, ciclovias e a construção de uma bacia de detenção às margens da Avenida das Nações. Segundo o secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho, o projeto é criar uma nova faixa de rolamento, com pavimento de concreto, para trânsito exclusivo de ônibus do transporte coletivo. “Teremos um corredor exclusivo com pavimento de concreto, apropriado para o tráfego de ônibus”, explica.

Por sua vez, o secretário de Obras e Mobilidade, Valter Casimiro, destaca: “Quem vai ser beneficiado com isso é a população. Os ônibus adquiridos com portas dos dois lados, que começaram a operar neste ano, vão percorrer desde a EPTG [Estrada Parque Taguatinga] até o terminal da Asa Sul, que dá acesso ao Metrô, ampliando o que temos hoje de faixa exclusiva para o transporte coletivo”.

Mais agilidade

Casimiro lembra que o corredor na EPTG já diminui em cerca de 30 minutos o tempo de deslocamento. “O trecho licitado deve dar, de imediato, mais 15 minutos de tempo para o usuário que vai pelo corredor”, aponta. Ele ressalta que o plano é chegar até o Sol Nascente/Pôr do Sol com obras em outras vias para, então, levar o BRT a esse lado da cidade.

“O trecho licitado deve dar, de imediato, mais 15 minutos de tempo para o usuário que vai pelo corredor”Valter Casimiro, secretário de Obras e Mobilidade

“O BRT é um sistema complexo, e tudo tem que estar preparado”, avalia. “No futuro, vamos implementar, com terminal de integração, linhas alimentadoras, fluxo contínuo e dedicado. A ampliação da extensão vai dar um pouco mais de tempo, mas ainda não é operação do sistema”. Segundo o secretário, os ônibus vão ser direcionados assim que a obra for concluída; em caso de aumento de demanda, novos veículos poderão compor a frota.

Moradora do Sol Nascente, a recepcionista Maria Lima, 38 anos, diz esperar ansiosa pela mudança. “A faixa exclusiva na EPTG realmente é muito boa para quem depende de ônibus”, ressalta. “Se chegar perto de casa assim, o carro vai ficar de vez na garagem”. Para ir ao trabalho, na Asa Sul, ela faz baldeação até o centro de Taguatinga, onde pega o transporte que a levará ao destino final. “Com certeza vai reduzir o tempo de deslocamento”, calcula.

Outros investimentos  

A previsão é que no próximo ano quatro obras que compõem o Corredor Eixo Oeste estejam em andamento: a revitalização da ESPM, com mais dois viadutos e as construções do elevado no Parque da Cidade e do Túnel de Taguatinga. “São mais de R$ 325 milhões investidos em obras que vão revolucionar a mobilidade na cidade”, exalta Luciano Carvalho.

Também segue, dentro do cronograma, a primeira etapa de revitalização da via, com investimento de R$ 7,6 milhões e construção de dois novos viadutos. O primeiro está sendo feito na alça de acesso da ESPM ao Eixo W, conhecido como “eixinho de cima”. Já o outro ficará na alça de acesso ao Eixo Rodoviário Leste, sentido L4.

Além disso, faz parte da implementação do corredor a construção do Túnel de Taguatinga. Com investimento de R$ 275,7 milhões, a passagem subterrânea vai melhorar a fluidez na área central da cidade. Atualmente, o serviço de concretagem das paredes se encontra 20% executado.

Outro ponto do plano é a requalificação da Avenida Hélio Prates, um investimento de R$ 15 milhões em obras de pavimentação, drenagem, calçadas, estacionamento, arborização, além da inclusão de faixa de rolamento e de via marginal entre o entroncamento com a via N3, próximo ao Sol Nascente, até o cruzamento com a via M1, próximo ao Hospital Regional de Ceilândia.

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here