Sala de monitoramento da PM ajuda a reduzir assaltos nos ônibus

Nos últimos dois meses, Sobradinho e Planaltina não registraram crimes no sistema de transporte público

A polícia monitora as câmeras 24 horas por dia e  observa comportamentos suspeitos | Fotos: Paulo H. Carvalho

Uma sala, quatro monitores e computadores, 60 câmeras e um policiamento ostensivo  contribuíram para diminuir assaltos no transporte público de Sobradinho e Planaltina. O número de ocorrências caiu este ano, em comparação com 2019. Nos últimos dois meses não houve nenhum crime desse tipo registrado em coletivos nas duas cidades.

O espaço, localizado no 13° Batalhão da Polícia Militar – em Sobradinho – , começou a funcionar no primeiro semestre de 2020 e já apresenta resultados positivos.

O tenente-coronel da corporação, Genilson Duarte, explica que dois policiais monitoram as câmeras 24 horas por dia. Cada um trabalha um turno de 12 horas.

“O mais importante é que eles conseguem ver tudo em tempo real, o que possibilita a antecipação dos fatos a partir da visualização de suspeitos. Esse sistema favorece a identificação de pessoas e possíveis meios de fuga também”, destaca.

Segundo Duarte, as câmeras foram instaladas nas áreas onde estão as maiores manchas criminais das duas cidades, como é o caso da BR-020.

“Quando há um caso suspeito, o militar faz contato com a viatura próxima ao local, que investiga a situação. É uma ação conjunta. Os militares estão em campo diariamente”, lembra o responsável pelo batalhão.

A meta, segundo o tenente-coronel, é aumentar significativamente o número de câmeras. “Passar de 60 para 100, além de atualizar a tecnologia e receber imagens de câmeras privadas e ter identificação facial”, adianta Genilson Duarte.

Reforço em todo o DF

Já foram instaladas em todo o DF, 928 câmeras de videomonitoramento. Em 21 meses, o número de equipamentos aumentou quase 60% – em janeiro de 2019, o DF contava com 584 equipamentos. O objetivo, de acordo com o secretário de Segurança Pública Anderson Torres, é ter todo o território monitorado.

“É uma das prioridades da nossa gestão. Essa tecnologia contribui tanto para o trabalho de investigação realizado pela Polícia Civil, como para o policiamento preventivo da Polícia Militar, permitindo ações mais eficientes e uma aplicação mais eficaz dos recursos”, avalia o titular da pasta.

Redes sociais são aliadas

Em Sobradinho e Planaltina a Polícia Militar também utiliza outra tecnologia para estar cada vez mais perto da população: o WhatsApp. “Criamos grupos com motoristas e cobradores. Caso haja alguma atitude suspeita ao redor do ponto de ônibus ou dentro do veículo, eles nos acionam”, informa Duarte.

O cobrador Wallace Vieira já acionou a PM usando o grupo de WhatsApp criado pelo 13° Batalhão | Fotos: Paulo H.  Carvalho/Agência Brasília

Wallace David Vieira, 21 anos, é cobrador há três meses. Mesmo com pouco tempo de serviço, ele já acionou o grupo. “Foi um caso de abuso sexual dentro do ônibus. A resposta foi rápida”, lembra. “Essas ações fazem com que eu me sinta mais seguro para trabalhar”, disse.

Motorista há oito anos, Evaldo Gonçalves, 45 anos, também concorda que a instalação de câmeras, a sala de monitoramento e o uso do aplicativo de conversas instantâneas também tornam as viagens de trabalho mais seguras. “As medidas contribuem. Já fui assaltado dentro de um coletivo. A sensação de impotência é enorme”, comenta.

Eleida Cunha, 39 anos, utiliza o transporte público constantemente, mas nunca passou por uma situação como a de Evaldo. A doméstica acredita que, com as ações do governo local, seja mais difícil  ser assaltada. “A gente tem receio, mas me sinto sinto muito mais confiante quando sei que há câmeras e policiais por perto”.

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here