GDF autoriza retomada da coleta seletiva, mas exige plano de segurança

Por Carolina Jardon

Medidas de prevenção devem ser apresentadas pelas empresas e cooperativas. Só assim as atividades poderão ser retomadas

O governo do DF autorizou, em decreto publicado no último dia 30 de maio, a retomada das atividades de coleta seletiva no DF. Isso inclui a coleta, o recebimento e a triagem de resíduos sólidos recicláveis nas Instalações de Recuperação de Resíduos (IRRs) e a triagem de resíduos nas usinas de compostagem do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU).

Mas, para iniciar a operação, empresas e cooperativas que prestam o serviço devem apresentar um plano de segurança e prevenção de riscos para avaliação da Subsecretaria de Vigilância em Saúde do Distrito Federal e aprovação do SLU.

Este plano é para garantir a segurança de cooperados, associados e trabalhadores envolvidos nas atividades e evitar riscos de contaminação, especialmente pelo novo coronavírus. As atividades de coleta seletiva estão suspensas desde o dia 20 de março, por causa da pandemia.

O SLU já formou uma comissão especial para estudar como realizar essa retomada com segurança.  A assessora da Diretoria Técnica do SLU, Andreia Portugal, explica que o SLU sempre trabalhou com protocolos de segurança, considerando que os resíduos sólidos já são materiais potencialmente contaminantes.“Diante da pandemia, esses protocolos foram aperfeiçoados e vêm sendo intensificados. Essa experiência vai contribuir para que a volta da coleta seletiva seja realizada com segurança no DF. Estamos estudando a melhor forma de fazer isso sem colocar em risco a saúde dos trabalhadores”, pontuou a assessora.


*Com informações do SLU

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here