‘Enfrentamos a Covid-19 sem parar a cidade’, afirma Ibaneis

Em emissora de TV, governador comenta transformação viária no DF, o combate seguro ao coronavírus e o retorno às aulas na rede pública

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, concedeu entrevista à TV Record na manhã desta segunda-feira (28). Em bate-papo com o jornalista Guilherme Portanova para o programa DF no Ar, o chefe do Executivo local fez um balanço das ações de enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19),  enumerou obras –  como a do viaduto do Recanto das Emas –  e destacou iniciativas do governo de regularizar condomínios.

Ibaneis comentou ainda as melhorias na urbanização de Vicente Pires, a revitalização do Setor Comercial Sul (SCS) e afirmou que as aulas presenciais na rede pública de ensino devem ficar para o próximo ano.

Confira, abaixo, o ponto a ponto da entrevista.

Obras

As obras concluídas, em andamento e as que estão por vir foram destaque, entre elas a do viaduto do Recanto das Emas, que teve a licitação publicada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) na sexta-feira (25).

O aviso de licitação da concorrência nº004/2020 escolherá a empresa que realizará a obra de construção do viaduto do Recanto das Emas. No local, por onde trafegam diariamente 60 mil veículos, o sistema viário no entroncamento da cidade com a DF-001 será readequado. O valor previsto para a execução total dos serviços é de R$ 37,5 milhões, provenientes de recursos da Caixa Econômica Federal.

O governador lembrou que o Itapoã também vai ganhar um viaduto, com previsão de entrega para 2022. Outro exemplo citado foi o Túnel de Taguatinga, que vai transformar a vida de milhares de condutores que passam pelo local diariamente, sejam eles moradores daquela região administrativa, de Ceilândia, Riacho Fundo ou outra  cidade do lado oeste do DF.

“Essa é uma das obras viárias com mais importância para a população do DF. Temos mais de um milhão de pessoas que vão ser beneficiadas com ela. É uma obra que nos alegra muito”, destacou o governador.

Saúde

Tema recorrente e de extrema importância, a saúde foi o primeiro assunto da entrevista ao canal televisivo. Ibaneis Rocha falou sobre a pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) e enumerou algumas ações adotadas pelo governo para enfrentar o vírus.

Ibaneis Rocha lembrou que os hospitais de campanha vão ficar como legado para o período pós-pandemia e que, com a queda do número de casos da doença no DF, os leitos para o enfrentamento à Covid-19 vêm sendo desmobilizados. “Tomamos as ações aqui de forma muito rápida, fazendo isolamento social forçado, criando leitos de UTI, e atendemos a todos. Não temos nenhum caso de pessoas que não foram atendidas”, lembrou.

Moradia

As construções de moradias e a ações de urbanização também foram pauta. O governador lembrou que tem investido em infraestrutura no Paranoá Park, antes inexistente. Ele ainda destacou que, no caso do Itapoã Parque, a atual gestão repensou o projeto e está construindo o setor habitacional pensando em toda infraestrutura necessária para equipamentos públicos, como aqueles destinados a colégios e unidades de saúde. “Estamos fazendo escola e uma Unidade Básica de Saúde [UBS] no Paranoá; e, no Itapoã, obras para atender 12 mil famílias, já com toda infraestrutura”, destacou.

Setor Comercial Sul (SCS)

Importante região do Distrito Federal, o Setor Comercial Sul (SCS) também foi assunto durante a entrevista. O governador foi questionado sobre a intenção de permitir habitação no local e também sobre o problema de estacionamento em área públicas. “O Setor Comercial Sul tem que ser revitalizado. Ele tem que ter vida, nem que para isso a gente parta para um projeto ousado como é o caso das moradias nos prédios”, disse Ibaneis.

Sobre o projeto Zona Verde, que prevê estacionamento rotativo em áreas públicas do DF, Ibaneis Rocha lembrou que a população tem sido ouvida para se chegar a uma melhor solução. Em relação ao projeto de moradia no SCS, citou o caso de outra unidade da federação para revitalizar a área central.

“No que diz respeito à moradia, é uma condição que temos visto no país. São Paulo só conseguiu revitalizar seu centro depois que liberou moradia. Se nós não possibilitarmos moradia no centro os prédios não vão gerar interesse em ocupá-los”, pontuou. “Como ele está hoje não gera nem emprego nem segurança”, acrescentou o chefe do Executivo local.

Vicente Pires

As obras de urbanização e infraestrutura em Vicente Pires foram outro tema de destaque da entrevista. A atual gestão tem dado uma cara nova à cidade e mesmo com os transtornos causados pelas chuvas, as obras continuam. A previsão é que, até dezembro, 90% das obras de infraestrutura estejam concluídas.

“Esta semana fui à obra da Rua 8 e o compromisso é concluir o asfalto da Rua 8 em 15 dias. A perspectiva nossa é fechar 2020 com 90% das obras concluídas”, assegura.

“O transtorno desse ano será muito menor do que nos outros anos e as galerias subterrâneas vão estar prontas. Temos muito a fazer na cidade, mas é importante lembrar que nós estamos fazendo obras onde as casas já estão construídas o que é diferente de se fazer em um bairro ainda em construção. Além disso, toda a cidade está sendo regularizada”, afirmou Ibaneis Rocha.

Privatização da CEB

Ibaneis Rocha também falou sobre o processo de privatização da Companhia Energética de Brasília (CEB) – Distribuidora. Ele lembrou que o Distrito Federal esteve perto de perder a concessão da empresa por conta da ausência de capacidade de investimentos.

“Contratamos o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social [BNDES] para não ter nenhum tipo de problema. Queremos dar qualidade de vida à população. Não à toa, recebemos tantas reclamações hoje sobre queda de energia e grandes dificuldades. Isso ocorre porque a empresa não tem capacidade de investimentos. A CEB precisa ser privatizada para que a população tenha um serviço melhor”, argumentou Ibaneis Rocha.

Educação

Após ouvir técnicos e especialistas da saúde e educação, o governador Ibaneis Rocha sinalizou que as aulas presenciais na rede pública de ensino não devem ser retomadas em 2020. A intenção foi confirmada durante a entrevista. “Não vejo condição de ter esse retorno das aulas. Não temos condição de dar essa segurança”, finalizou.

Por Ian Ferraz

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here