Transporte pirata segue com toda força no DF

transporte-pirata-segue-com-toda-forca-no-dfApesar do cerco ao transporte pirata, a prática ilegal continua a todo vapor. E o pior: com o apoio da população. Os pontos de embarque na clandestinidade são os mesmos: Lago Norte, na altura da QI 13; São Sebastião, na Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia-Sul), e Rodoviária do Plano Piloto.

Homem oferece serviço na Rodoviária do Plano PilotoFoto: Divulgação

De acordo com a Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle (Sufisa), no primeiro trimestre deste ano, foram registrados 126 boletins de ocorrência deste tipo de infração na Polícia Civil do Distrito Federal. Segundo o mesmo órgão, no ano passado, nenhum motorista de transporte pirata foi parar na delegacia.

A farra do serviço ilegal não dá trégua. Na última quinta-feira (16), na Rodoviária do Plano Piloto, a equipe do Fato Online flagrou um homem vestido de camiseta preta e calça jeans oferecendo o serviço de transporte irregular. “Paranoá! Preço do ônibus”, gritava ele. A procura era imediata e logo se formou uma fila para embarcar no carro.

A justificativa dos usuários para utilizar o transporte pirata é a má qualidade da prestação do serviço de transporte: furos na escala horária e ônibus em mau estado de conservação e superlotados. Assim explicou a manicure Jaqueline Ferreira, 35 anos, moradora do Paranoá.

Para ela, o transporte pirata é mais rápido que o ônibus tradicional. “Tem mais ônibus disponíveis que das empresas legalizadas. Trabalho na Esplanada dos Ministérios e moro no final do Paranoá. Pego ônibus sempre lotado, e a espera é muito longa também”, explicou a manicure.

O estudante José Orlando Ribeiro, 25, que também reside no Paranoá, vê o transporte pirata como uma alternativa. “Não é um meio legal e nem seguro. Mas Brasília tem um transporte público muito caro. Além disso, o serviço é ruim. A gente pega ônibus sempre lotado. E, muitas vezes, não passa no horário que a gente deseja”, justifica.

A prática ilegal também ocorre em uma das estradas mais movimentadas do DF. Na Epia Sul, sentido Park Way e Gama, carros de passeio fazem fila na parada ao lado da pista do BRT. A maioria tem as cidades do Entorno Sul como destino. “Valparaíso, Novo Gama, Luziânia. Preço do ônibus”, divulgam os piratas.

No ano passado, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o Ministério das Cidades e o Ministério dos Transportes lançaram uma campanha com o objetivo de alertar sobre os riscos de usar o transporte pirata. Mas, pelo que se vê nas ruas, a campanha não alcançou o objetivo esperado. E quem for pego fazendo transporte pirata responde por exercício ilegal da profissão e paga multa que varia de R$ 2 mil a R$ 5 mil.

 

Fonte: Fato Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here