Rollemberg perto de enfrentar a primeira crise na base parlamentar

rollemberg-visita-renan-calheiros-para-falar-sobre-pec-do-comercio-eletronicoCom o início de uma gestão turbulenta em virtude da crise econômica e precisando de apoio político, o governo de Rodrigo Rollemberg já sofre a primeira crise em sua base aliada. O estopim atende pelo nome de Projeto de Lei (PL) que reestrutura as Regiões Administrativas (RA’s). Protocolada em 24 de fevereiro, a intenção da matéria é diminuir de 31 para 24 o número de RA’s. A proposta de redução tem contrariado mesmo os deputados que declararam apoio ao chefe do Executivo local.

O caso mais recente desse descontentamento envolve o distrital Juarezão (PRTB). Nos corredores da Câmara Legislativa, ele tem declarado que está bastante insatisfeito com a tramitação do PL e, até, teria desabafado com um interlocutor sobre uma possível saída da base caso o governador não mudasse o teor do projeto.

De acordo com a assessoria de imprensa de Juarezão, o governador Rollemberg prometeu marcar uma reunião com os parlamentares, separadamente, para colocar panos quentes na crise que já assombra o Palácio do Buriti, sede do governo local. “Por enquanto, não há disposição dele em deixar a base. Mas o deputado tem sofrido uma pressão dentro do partido devido ao projeto”, afirmou uma assessora do parlamentar.

Pressionados por seus eleitores, 20 deputados chegaram a encaminhar uma moção assinada ao Buriti, aconselhando o governador a recuar da proposta. Apenas os deputados Joe Vale (PDT), bispo Renato (PR), professor Israel (PV) e Reginaldo Veras (PDT) não assinaram porque estavam em compromisso fora da Câmara. O documento foi organizado pelo petista Wasny de Roure, mas contou com a assinaturas de deputados da base. Porém, o PL não foi retirado da pauta até o momento.

De acordo com o líder de governo, deputado Julho César (PRB), o PL está nas comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Economia Orçamento e Finanças (CEOF). “Não é um projeto que vai ser definido rapidamente”, admite. “Ainda vai ter muita mudança”, conclui.

Professor Reginaldo Veras (PDT), do bloco Sustentabilidade, Trabalhismo e Solidariedade, admite votar o projeto, mas com alterações. “Sou a favor da manutenção do projeto na Casa, mas com várias emendas. Principalmente, às que se referem à redução de custos e substituição de cargos comissionados para concursados”, afirmou o político, em nota.

Fonte: Fato Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here