PMDF descarta novas viaturas

02032016075704Na semana que começou com mais um acidente envolvendo uma viatura Pajero da Polícia Militar, a corporação decidiu que não vai mais comprar o modelo para a sua frota. Porém, as 378 unidades que já integram o patrimônio da PM, adquiridas em 2012, serão mantidas em atividades operacionais e administrativas, já que o prazo mínimo de uso desses veículos só vence em 2017. A decisão foi tomada para garantir a segurança dos policiais. Além disso, foram abertos três novos pregões eletrônicos de contratos de manutenção dos veículos que fazem o serviço operacional.

O comando da PM cancelou o pregão antigo, contestado pelo Tribunal de Contas do DF (TCDF), e abriu novas convocações para toda a frota de 2,2 mil veículos, de acordo com o chefe da Comunicação Social da PM, tenente-coronel Antônio Carlos Santana. Os pregões eletrônicos foram iniciados no mês passado. No último dia 22, foi publicado o chamamento para contrato de manutenção das Pajeros, que estão sem manutenção desde setembro.

Na última sexta-feira (26), a PM publicou o pregão para os carros dos modelos Fiat Linea e Chevrolet S-10. “Nossa expectativa é de que, em 60 dias, esses contratos estejam em vigência”, afirmou o militar. O valor total, entretanto, não foi informado.

As viaturas que têm mais de 8 anos ou estão sucateadas vão para leilão. De acordo com o militar, das unidades operacionais quase 100% terão manutenção. São 380 pajeros e 94 S10.
Delegacia Eletrônica – A Polícia Civil do Distrito Federal ampliou para dez o número de tipos de crimes que podem ser registrados na delegacia eletrônica. Agora, além de extravios, furtos e acidentes de trânsitos, a população pode usar o serviço para denunciar estelionato, perturbação do sossego, calúnia, injúria, difamação, furto em interior de veículo e apropriação indébita.

Desde a criação da delegacia, em março de 2006, foram registrados 328.940 casos de extravio, 128.184 de furto e 264.107 de acidentes de trânsito. A média é de 300 ocorrências por dia em 2016, e a expectativa é chegar a 500.

O sistema online é uma vantagem para o cidadão porque facilita o registro de ocorrências e libera os policiais do atendimento na delegacia. Com isso, segundo a corporação, é possível colocar mais policiais para fazer investigação.

Da redação do Alô

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here