Ibaneis anuncia que Vicente Pires está perto da regularização fundiária

Em entrevista à rádio Supra FM, no Gama, o governador do Distrito Federal elencou feitos da gestão e planos para 2021

Ibaneis: “Nessa pandemia, o DF não abandonou os mais pobres” | Foto: Agência Brasília

Alcançado o índice de 90% de obras executadas, vem mais notícia boa para a população de Vicente Pires. Na próxima semana, um convênio da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) e da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) vai transferir a terra para o Distrito Federal, permitindo iniciar um grande programa de regularização fundiária. A informação foi dada pelo governador Ibaneis Rocha em entrevista (veja abaixo) à Rádio Supra FM, no Gama, neste sábado (10).

“Com todas as dificuldades, vamos conseguir terminar o ano com muitas realizações”, garantiu. De acordo com ele, são mais de 350 obras em andamento, com esforços de todos os atores do governo para manter o ritmo, mesmo em ano de dificuldade. Acompanhado dos secretários de governo, José Humberto Pires, e de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, o governador conversou com o radialista Hélio Porto por cerca de 20 minutos.

“Nós temos 375 obras em andamento e hoje ocupamos grande parte da nossa agenda com inaugurações. É grata surpresa conseguirmos fazer tanta coisa sabendo que foram dez anos de abandono”Ibaneis Rocha, governador do DF

No encontro, ele tratou de obras e melhorias pelas cidades, saúde, segurança, ações de enfrentamento à Covid-19, cuidados para garantir emprego, renda e dignidade para a população mais afetada pela pandemia, além das expectativas para o próximo ano. Tudo isso a partir da máxima da gestão: integração entre secretários e administradores, com apoio institucional de parlamentares.

Confira os principais pontos da entrevista:

Obras

“Nós temos 375 obras em andamento e hoje ocupamos grande parte da nossa agenda com inaugurações. É grata surpresa conseguirmos fazer tanta coisa sabendo que foram dez anos de abandono”, disse o governador. Ele elencou o Túnel de Taguatinga, que já é realidade, e os trabalhos feitos para liberar o viaduto de acesso ao centro daquela cidade. Além disso, lembrou das cinco quadras cobertas recém-inauguradas no Arapoanga e o grande projeto de reforma das escolas públicas, enquanto as salas de aula estão esvaziadas em razão da pandemia. Isso sem contar as ações de recapeamento de asfalto, com uma série de operações tapa-buracos que percorrem as regiões. “Não temos condições de trocar todo o asfalto do DF, mas estamos fazendo aos poucos os reparos.”

Gama

Prestes a completar 60 anos, o Gama, endereço da rádio, virou um canteiro de obras para levar melhorias à comunidade. “Quem anda na cidade vê a Avenida dos Pioneiros toda reformada, o que ninguém pensava que aconteceria. Ali, também vamos fazer calçadas, trocar a iluminação, deixar tudo novinho para a população”, ressaltou. O governador ainda lembrou da construção de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e das melhorias no Hospital Regional do Gama. As intervenções na cidade são feitas com apoio da administradora Joseane Feitosa e emendas parlamentares do deputado distrital Daniel Donizet, representante da cidade. Parceria essencial ao andamento das intervenções, destacou Ibaneis.

“Choramos as mais de três mil vítimas da doença, mas seriam muito mais se não fossem as medidas. Agora estamos fazendo o retorno das atividades com segurança, com plano de desmobilização pronto para remobilizar em caso de segunda onda, no que não acredito”Ibaneis Rocha, governador do DF

Covid-19

Para o governador, a iniciativa pioneira de determinar o isolamento social foi importante para o enfrentamento da doença no DF. “Foi difícil, de muitas críticas, mas nos deu tempo de sair de zero para 808 leitos de UTI”, lembrou. Com reforço na rede pública de saúde, ele disse que todos puderam ser atendidos com qualidade, inclusive pacientes que moram na região metropolitana. “Choramos as mais de três mil vítimas da doença, mas seriam muito mais se não fossem as medidas. Agora estamos fazendo o retorno das atividades com segurança, com plano de desmobilização pronto para remobilizar em caso de segunda onda, no que não acredito.”

Assistência social

“Nessa pandemia, o DF não abandonou os mais pobres. Montamos atendimento no Abadião, em Ceilândia, e no Autódromo, na área central, para acolher as pessoas em situação de rua com alimentação, lugar para dormir, atendimento psicossocial. E também levamos idosos em situação de vulnerabilidade para hotéis”, destacou o chefe do Executivo. Motivo de orgulho é o Cartão Prato Cheio, aponta. De seis mil cestas básicas, passou para quase 30 mil cartões. “Sabemos da dificuldade que o povo está passando e sabemos que 2021 vai ser difícil. Queremos dar segurança alimentar e estamos reservando quantidade maior de recursos para o programa. O cadastramento foi feito com muito cuidado”, explicou.

Segurança

No quesito segurança pública, o governador apontou que os índices estão em queda. “Desde o primeiro dia do nosso governo colocamos segurança como prioridade. Já efetuamos mais de 1,5 mil policiais e agora, no fim do ano, teremos mais cerca de 600 alunos no curso de formação da PMDF”, avisou. O monitoramento de câmeras também foi destaque na fala do chefe do Executivo.

Projetos

Ibaneis afirmou também que muitas ações serão executadas em 2021. Esforços do governo foram feitos para que projetos saíssem do papel, já que ele diz ter sentido muito a ausência deles no início da gestão. Só na Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) quase 20 foram elaborados. Ele ressaltou o novo viaduto do Recanto das Emas, que estava com projeto abandonado, e o Hospital Oncológico, que precisou de ação judicial para ser restabelecido. Vale mencionar as reformas e construções de estabelecimentos de saúde.

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here