Distritais veem interferência indevida de parlamentares federais na CLDF

“Não entro na casa de ninguém sem antes avisar”, diz vice-presidente Delmasso

Para Delmasso, uma eventual CPI na Câmara Legislativa poderia atrapalhar as investigações do Ministério Público (MPDFT), no âmbito da Operação lso Negativo. Foto: Ascom/Republicanos

A inesperada visita dos senadores Izalci Lucas (PSDB) e Leila Barros (PSB) e das deputadas federais Paula Belmonte (Cidadania) e Erika Kokay (PT) à Câmara Legislativa, no final da tarde de quarta-feira (26), foi mal recebida por vários deputados distritais.

Alguns compararam a atitude à iniciativa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de levar uma comitiva de ministros e empresários, no dia 7 de maio, para pressionar o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, a amenizar as medidas restritivas impostas pelos estados no combate ao novo coronavírus.

O vice-presidente da Câmara Legislativa, Rodrigo Delmasso (Republicanos), disse que, “embora tenha achado estranho”, fez o papel de anfitrião dos quatro parlamentares federais: “eu não entro na casa de ninguém sem antes avisar ou pelo menos pedir licença”, afirmou.

Delmasso reiterou que fez questão de transmitir a reunião ao vivo pelo canal da CLDF no YouTube “para que não houvesse qualquer tipo de mal entendido posterior”. “Temos trabalhado com total transparência, mas, pessoalmente, considero esta ação oportunista. Por que eles não vêm aqui discutir soluções para a pandemia?”, questionou.

Para Delmasso, uma eventual Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara Legislativa para apurar possíveis irregularidades na aplicação de recursos da Secretaria de Saúde no combate à pandemia pode, inclusive, atrapalhar as investigações do Ministério Público (MPDFT), que está apurando tudo no âmbito da Operação Falso Negativo.

Palanque – O vice-presidente da CLDF vê, ainda, cunho político-eleitoreiro na atitude dos parlamentares federais. “O senador Izalci é candidato declarado ao Buriti. A deputada Paula Belmonte é esposa do primeiro suplente de Izalci. A senadora Leila é a esperança do PSB-DF de ressurgir das cinzas após o fiasco do governo de Rodrigo Rollemberg. E a Erika cumpre o papel do PT de fazer oposição ao governador Ibaneis Rocha”, resumiu.

“Propus à senadora Leila que criasse uma CPI para investigar a compra de respiradores pelo governo de Pernambuco, que é do PSB. Gostaria que o senador Izalci apurasse a aplicação das verbas do SUS em São Paulo, na gestão do PSDB. E parabenizei a deputada Paula pela lei anticorrupção, que certamente vai poder desmascarar muitos criminosos de colarinho branco”, concluiu.

Por Orlando Pontes
Fonte: Brasília Capital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here