Dengue vira preocupação nacional e o número de casos cresce sem parar

aedesO número de casos registrados de dengue aumentou mais de 400% no primeiro trimestre em Pernambuco e a procura das pessoas por hospitais, em vez de Unidades Básicas de Saúde, tem dificultado o trabalho de prevenção dos agentes.

Metade dos pacientes está com suspeita de dengue na emergência lotada do Hospital Geral de Areias, no Recife, em Pernambuco.

David, de 10 anos, acordou com febre e dores no corpo. A mãe do menino não teve dúvidas em levá-lo para a emergência do hospital. “Porque achei que aqui, ele faria os exames e ficaria melhor”, diz Maria José.

Segundo a Secretaria de Saúde, a triagem e o primeiro atendimento das pessoas com os sintomas da dengue devem ser feitos nas Unidades de Básicas de Saúde, que ficam mais perto das casas dos pacientes.

“As ações que são realizadas pelo município são direcionadas pela ocorrência de casos. Se os pacientes não procuram a unidade de saúde, eu não vou saber onde está ocorrendo, então isso pode dificultar as ações nos municípios”, diz Claudenice Pontes, coordenadora do Programa de Prevenção à Dengue.

A superlotação das emergências é outro agravante do problema. Dos 400 atendimentos feitos por dia no hospital de Areias, 200 são de casos suspeitos de dengue.

O número de hemogramas, exame que confere as plaquetas no sangue, saltou de 70 para 180 por dia no laboratório. Dois funcionários extras foram convocados para ajudar no trabalho.

Nos três primeiros meses deste ano, foram registrados 18.431 casos de dengue em Pernambuco, aumento de 423,91% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números são preocupantes, mas a situação pode ficar pior.

De acordo com o índice de infestação da Secretaria de Saúde, que leva em conta a quantidade de focos do mosquito nos imóveis, 83 municípios de Pernambuco podem enfrentar um surto de dengue.

Do alto é possível ver a falta de cuidado dos moradores com os possíveis focos da dengue. No bairro de Santo Amaro, muitas caixas d’água estavam sem tampa, um prato cheio para os mosquitos.

Este ano, o Ministério da Saúde já recebeu a notificação de 460 mil casos da doença. O forte calor aumentou a velocidade de reprodução do mosquito, o aedes aegypti. Em 30 dias de vida, cada mosquito dá origem a outros 400.

Dos 460 mil casos notificados em todo o país, pouco mais da metade está em São Paulo. A Prefeitura da capital paulista apelou para o Exército na batalha contra a doença. Cinquenta militares irão ajudar os agentes de saúde a combater os criadouros do mosquito.

A Prefeitura também pretende instalar mais três tendas de atendimento à pessoas com sintomas da dengue. Atualmente, seis já funcionam na cidade.

Fonte: g1.globo.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here