Carta de desagravo – Casa do Cantador

Nota(1)Em resposta a matéria assinada pela jornalista Helena Mader e publicada no jornal correio Brasiliense no dia 26/01/2016, na coluna CB.Poder, a Casa do Cantador tem a informar.

Ao contrário do que a matéria aponta nem todos os eventos culturais que foram realizados na cidade de Ceilândia tiveram verbas oriundas de emendas parlamentares do Gabinete da Deputada Luzia de Paula. O evento “natal solidário”, apontado na matéria, foi custeado com verba destinada pelo Deputado Distrital Bispo Renato e de fato a ação tratou-se de um show musical.

As atividades realizadas na Casa do Cantador no período de 21 de novembro a 16 de dezembro vão ao encontro da missão e da visão deste Espaço Cultural, que são:

Missão: Preservar, promover e difundir as artes, valores e costumes de origens nordestinas e outras que estão arraigadas à evolução histórica e cultural de todos os brasileiros.

Visão: Ser legitimada pela sociedade como uma instituição que possui excelência na prática da promoção da cultura brasileira, em especial a nordestina, sendo um instrumento ágil e transparente a serviço de todos.

As ações não se limitaram apenas em entretenimento (SHOWS), mas sim no fortalecimento de alguns gêneros culturais genuinamente brasileiros, no caso o Repente, o Forró de Pé de Serra, o Teatro mamulengo e a música Caipira.

Nas Festividades do Aniversário da Casa do Cantador foram incluídos os projetos: Festival de Cultura Nordestina, 8º Encontro dos Forrozeiros, Projeto Viola, Repente e Canção, e o Sarau Hip- Hop. Para a execução dos projetos realizados no período supracitado foram destinados um pouco mais de 488 mil reais, verba oriunda de emenda parlamentar da Deputada Luzia de Paula. Foram contratadas 55 atrações, gerando renda direta e indiretamente a mais de 200 Pessoas (para se ter uma ideia, só no encontro dos forrozeiros foram contratados mais de 90 artistas que compuseram os 32 trios).

Quanto ao questionamento dos cachês, todas as contratações tiveram como base o cadastro de cada artista no Sistema de Cultura – SISCULT da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, não havendo acréscimo algum em referência a contratações anteriores. Todos os projetos foram sucesso de público e tiveram seus objetivos atingidos.

Ao estar destinando verba para fomentação de Cultura e lazer a Deputada Luzia de Paula faz cumprir o que está disposto no artigo 215 da Constituição Federal e não merece ser alvo de matéria com um título pejorativo tal qual a que gerou o motivo para essa carta de desagravo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your name here
Please enter your comment!