Dilma e Obama ainda eram presidentes no último jogo de substituto de Muralha

20171127114803629691uAlex Muralha não será o goleiro do Flamengo no jogo de volta das semifinais da Copa Sul-Americana, contra o Junior Barranquilla, na quinta-feira (30/11). Após três falhas nas últimas duas partidas, a comissão técnica tomou a decisão de escalar César, segundo a ESPN.

César é revelado pelas categorias de base do Flamengo, mas tem pouca experiência como jogador profissional: aos 25 anos, o goleiro fez apenas 20 partidas oficiais na carreira. Ele sofreu 23 gols no período.

O prata da casa não atua numa partida válida desde 6 de dezembro de 2015, na última rodada do Campeonato Brasileiro daquele ano, quando o Flamengo levou 2 x 1 do Palmeiras. Na ocasião, o arqueiro revelado na base rubro-negra levou dois gols de cabeça e fez boa defesa em finalização de Alecsandro.

Desde então, César passou por Ponte Preta e Ferroviária-SP por empréstimo, mas nem assim conseguiu fazer um jogo oficial. Todo o ritmo de jogo do atleta em 2017 se resume a 27 minutos de um amistoso com a camisa da Ferroviária contra o Corinthians, em 1º de fevereiro.

Terceira opção

No Flamengo, hoje, o jovem é a terceira opção do elenco, mas pode ser lançado no time devido à lesão de Diego Alves e a péssima fase de Alex Muralha. “Se precisarem de mim, eu estou pronto para jogar”, limitou-se a dizer César, na zona mista localizada na saída da Ilha do Urubu, neste domingo.

Quando César entrou em campo da última vez, Dilma Rousseff ainda era presidente do Brasil e Barack Obama comandava os Estados Unidos. E Alex Muralha, hoje maior vilão da torcida do Flamengo, ainda atuava no Figueirense, time pelo qual era considerado um dos destaques do Campeonato Brasileiro. No último dia daquele ano, Muralha assinou com o Flamengo um contrato de quatro anos.

Fonte: Superesportes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here